Três poemas de Luana Claro

24/01/2018 / postado por revistalavoura

pelas partes de pernas

que passam e revelam

mais pernas vejo e fico

em dúvida de qual é o meu

ponto de vista se sou

observadora ou

participante

 

__

quando cheguei em são

paulo estava meio caipira

ainda estava no trem e

a porta me arrancou uma

unha meu deus que

pancada

eu já morri um monte

de vezes duas eu acho

e já voltei se eu não

fosse careca e mal

criado eu poderia

ser jesus

 

__

pela manhã gélida

a sombra que se

projeta nos trilhos

é a minha e a de

tantos outros

 

muito em breve

o trem passará

por cima de

todos nós

 

__

Luana Claro é graduanda do curso de Letras pela Universidade de São Paulo e pesquisadora da obra poética de Angélica Freitas. Nascida no outono de 1994, publicou em 2017 pela Editora Patuá seu primeiro livro de poemas e ilustrações, Diadorim.

Deixe o seu Comentário aqui!

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *