André Balbo

André Balbo nasceu em São Paulo em 1991. É autor dos livros de contos Eu queria que este livro tivesse orelhas (Oito e meio, 2018) e Estórias autênticas – importunâncias do engenho alheio (Patuá, 2017).

Cursou Direito na USP, onde foi repórter, colunista e editor-chefe do jornal Arcadas. Foi trainee de Ciência e Saúde da Folha de S.Paulo, tendo coberto a Virada Cultural de 2015.

É colaborador da Philos – Revista de Literatura da União Latina, tendo sido autor convidado da Flist e da Flipoços em 2018, e um dos curadores parceiros da Casa Philos da Flip 2018; e da Liberoamérica – Plataforma Literaria.

Integrou as antologias Civilização e Barbárie e Sobre humores e fluidos (Gueto, 2017, Org. Jerome Knoxville e Amanda Sorrentino), e a coletânea de contos Tabu (Carreira Literária, 2017, Org. Flávia Iriarte).

É professor de redação e literatura e editor, parecerista e revisor freelancer.

E-mail para contato: balbo008@gmail.com

__

Contos “A gente não vê quando o vento se acaba” e “O um café”, na Ruído Manifesto:
http://ruidomanifesto.org/dois-contos-de-andre-balbo/

Conto “Icelônia”, na revista Gueto:
https://revistagueto.com/2018/06/14/icelonia-de-andre-balbo/

Entrevista para o projeto como eu escrevo, de José Nunes:
https://comoeuescrevo.com/andre-balbo/

Ensaio “Entre Damázios e doutores”, na revista Philos:
https://revistaphilos.com/2018/01/31/entre-damazios-e-doutores-por-andre-balbo/

Participação no programa Trilha de Letras, da TV Brasil (13’55”):
http://tvbrasil.ebc.com.br/trilha-de-letras/2017/10/jornalismo-literario

Entrevista para Fernando Andrade, do portal Ambrosia:
http://ambrosia.com.br/literatura/entrevista-com-o-escritor-andre-balbo/

Conto “O eremita e a serpente”, na revista Mallarmargens:
http://www.mallarmargens.com/2017/06/o-eremita-e-serpente-de-andre-balbo.html

Bate-papo com Júlio Pimentel Pinto (FFLCH-USP), no jornal Arcadas:
http://www.jornalarcadas.com.br/30-anos-sem-borges/