De todos os fogos: o fogo

Duas histórias narradas simultaneamente, intercalando-se e confundindo-se no espaço e no tempo. O foco da primeira é em uma arena, descrita como numa Roma clássica, em que lutam dois gladiadores; a segunda concentra-se em um familiar microcosmo contemporâneo, em que dois amantes rompem o vínculo pelo telefone. Ao final, ambas se encerram com um incêndio…

By revistalavoura novembro 14, 2018 0

Um romance da Presidência da República

Nós somos criados a um só tempo pela superstição da humildade e pela vontade do sucesso e do heroísmo. É uma contradição que segue em espiral, e a solução é querer chegar ao topo, mas com simplicidade e sem competir com ninguém, como se o sucesso máximo fosse permitido desde que não haja vaidade. Paradoxal?…

By Arthur Lungov setembro 26, 2018 0

Dois Poemas de Jorge Pereira

Tisanas I As cores das palavras que pronuncias confundem-me. Nem eu nem tu somos capazes de compreendê-las todas. Por isso, supomos que não significam nada, que se assemelham ao rigor do silêncio, e à sua triste e contemplativa quietude Mas, um dia choraremos sobre os mesmos lenços, pelos mesmos olhos, e já não haverá palavras…

By Arthur Lungov setembro 9, 2018 0

Quatro Poemas de Jeanne Callegari

Alicate sobre o que se pode cortar. pele que se derretida em brancos e azuis, que coisa é o vermelho, uma cor tão escolhida. preferencialmente sem escalavrar grandes granduras, o mar é raso, o tesouro sutil rutilado, trabalho a liquefazer antes que o sol –   na boca apodrecem, fora da mão apodrecem, endurecem, metal…

By Arthur Lungov setembro 5, 2018 0

Fernando Haddad: “Sou fascinado pelos contos de Borges”

Na 2ª edição da Lavoura, publicada em outubro de 2017, inauguramos a seção “Biblioteca de Babel”, na qual personalidades do meio artístico, acadêmico e intelectual compartilham algumas notas sobre as obras literárias fundamentais para a construção de seu pensamento crítico e trajetória profissional. Hoje, dia 24 de agosto de 2018, completam-se 119 anos do nascimento de…

By André Balbo agosto 23, 2018 0

Quatro Poemas de Diana Junkes

Poema Antinatural feche os olhos de sua mãe ordenou a enfermeira complacente e sarcástica olhei então para seus olhos abertos ao nada a boca aberta a morte deslizei a mão esquerda das sobrancelhas aos malares salientes como os meus   até aquele momento eu não havia entendido ela agonizava eu não havia entendido a despeito…

By Arthur Lungov agosto 12, 2018 0

Molusco Concha

O poema “O Caramujo” de Ruy Proença do livro Como um dia come o outro 1 faz referência ao animal que tendo uma parte de seu corpo mole e outra parte dura, a concha, pode se proteger e se esconder em si mesmo. Uma dádiva aos seres frágeis e que se auto-preservam. Um obstáculo aos seres…

By Arthur Lungov julho 16, 2018 0